Aulas e Shows de Flamenco

Espetáculos

A Casa

O espetáculo A Casa, proposto pelo Grupo Sílvia Canarim, realizou uma releitura da peça teatral A Casa de Bernarda Alba de Federico García Lorca. Nesse trabalho, a dança flamenca foi o ponto de partida para a ação, porém não encerrou as possibilidades de movimento e de expressão em uma só linguagem. A união com o teatro e a proposta multicultural da trilha sonora estimulou os intérpretes a criar movimentos, gestos e intenções, que muitas vezes não cabiam em um “rótulo”.

A universalidade da temática foi traduzida em uma linguagem corporal híbrida e através da trilha composta por Felipe Azevedo, diretor musical da obra. O trabalho de Felipe resgatou sonoridades brasileiras, espanholas e árabes, que traduziram os sentimentos presentes no texto e que são inerentes a todos os seres humanos.

Para conseguir um perfeito encontro da dança do teatro, o Grupo contou com a direção cênica de Decio Antunes, diretor gaúcho apaixonado pela obra lorquiana e que aportou sua experiência na criação e no desenvolvimento desse espetáculo.

A união do trabalho do Grupo Flamenco Silvia Canarim com esses dois grandes nomes da arte gaúcha fez com que essa versão de A Casa de Bernarda Alba se tornasse única e magistral. A obra obteve oito indicações ao Prêmio Açorianos de 2007 e recebeu 4 estatuetas: Melhor Espetáculo de Dança, Melhor Trilha Sonora Original, Melhor Direção e Melhor Cenografia.

 

Lorquianas

Inspirado  na compilação de várias canções populares efetuada e gravada em 1931 por Federico García Lorca, Lorquianas foi originalmente apresentado como um recital para piano, voz e dança. Com base na grande acolhida de público, a obra foi ampliada e tornou-se um espetáculo que incluía, além das canções, poemas musicados e recitados e das coreografias, a direção e a dramaturgia que ficaram a cargo do diretor Roberto Birindelli.

A obra realiza uma ampla viagem pela obra poética e musical do poeta andaluz. As canções são interpretadas pelas cantoras Vanessa Longoni e Simone Rasslan, que também é responsável pelo acompanhamento ao piano, pelos arranjos e, pela direção musical. Ao longo do espetáculo, a bailarina Silvia Canarim interpreta diversas coreografias e realiza interferências em algumas músicas e poemas que conduzem o espectador a mergulhar nesse universo poético. Os trechos foram selecionados e recitados pela professora de língua e cultura espanhola Denise Simas Baptista, idealizadora do projeto.

Solos y bien acompañaos

O espetáculo Solos y Bien Acompañaos foi criado especialmente para o projeto ‘Dança de Domingo’ da Coordenação de Dança da Secretaria Municipal de Cultura. Nessa obra, o Grupo Flamenco Silvia Canarim teve como convidados especiais as alunas do Centro Cultural Arte Cinco e do Grupo Aires de España do Centro Español de Porto Alegre.

As coreografias de Soleá por Bulerías, Tientos, Farruca, Tangos Gitanos e Bulerías foram apresentadas em versões solo e para grupo, onde se destacaram os solos dos bailaores Adriano Ferreira e Maria Albers que interpretaram suas próprias criações. A música ficou a cargo do guitarrista flamenco Giovani Capelleti, da cantaora Thaís Rosa e do percussionista Cristiano Rodrigues ‘Tuti’.

Luces y sombras de España

Esta obra foi concebida para celebrar a finalização das atividades de um ano de trabalho à frente do Grupo Aires de España do Centro Español de Porto Alegre, assim como de sua academia de danças espanholas (em atividade há mais de 40 anos na capital gaúcha). ‘Luces y Sombras’ buscou mostrar os contrastes da cultura espanhola, sua alegria e sua tristeza, sua exuberância e sua introspecção.

Para tanto, foi escolhido um repertório eclético que ia das mais alegres jotas gallegas às ‘jondas’ soleares e seguiriyas flamencas. O cenário e a iluminação também seguiram esse conceito: painéis inspirados na estética cinematográfica de Saura e a utilização de cores, ora alegres ora sombrias, presentes nas pinturas de mestres como Zorolla, Dalí, Picasso, Goya y Velázquez.

 

El Club del Duende – Jam sesion flamenca

Idealizado pelo publicitário Cláudio Santana e coordenado por Silvia Canarim, El Club del Duende – Jam Session Flamenca, reuniu grandes nomes do flamenco e da música do nosso estado durante seus dois anos de existência.

Os encontros eram realizados uma vez por mês no ‘Básttidores Bar’ e contavam com a presença dos colegas e amigos Andréa del Puerto y Grupo, Cadica e Grupo Paixão Flamenca, Fernando de Marília, Robinson Gambarra (da Cia Tablado Andaluz e pioneiro da dança flamenca no estado do RS), Luciano Orrigo e do bailarino cubano Miguel Alonso, um dos nomes de maior relevância do Flamenco na América Latina.

O ‘Club’ também contou com as presenças de Ivonne Pacheco, ‘a dama do Jazz de Porto Alegre’, do compositor Felipe Azevedo, do cantor Richard Edmuns, do grupo musical Batuque de Cordas (formado pelos violonistas por Vinícius Corrêa, Cláudio Veiga e Gustavo Finkler), da bailarina Alexandra Forte, entre outros convidados.

 

Encuentros Andaluces

Como o próprio título sugere, o espetáculo foi um grande encontro entre o Grupo Flamenco Silvia Canarim e seus convidados especiais, que além da admiração mútua, compartilhavam uma história de vida e a paixão por uma arte gestada na região da Andaluzia. A obra, estreada no Theatro São Pedro de Porto Alegre, contou com as atuações das bailaoras e coreógrafas Andréa del Puerto, Cadica Costa, do guitarrista Fernando de Marília e do bailaor e coreógrafo cubano Miguel Alonso.

Além da presença dos artistas flamencos, a noite foi abrilhantada por outros encontros ‘plurais’ como o de Miguel Alonso com Denise Baptista interpretando um poema de García Lorca e o de Silvia Canarim e de Richard Edmunds cantando ‘Madrid, Madrid’ ao piano. O guitarrista Fernando de Marília dividiu o palco com o músico Zé Blanco (na flauta transversa), Fernando do Ó (na percussão), Cláudia Azevedo (canto lírico) e Gabriel Corrêa (violino). Inesquecível!

Mosaico – As múltiplas faces do flamenco

Mosaico, estreado em 2003 no Theatro São Pedro de Porto Alegre, buscou demonstrar de forma viva e pungente as ‘múltiplas faces’ dessa arte de berço andaluz, porém de vocação universal. A feliz combinação de uma trilha musical criteriosa com um trabalho coreográfico diversificado ofereceu ao público diversas visões sobre o flamenco. O espetáculo contou com coreografias de diversos profissionais do Brasil e da Espanha, entre eles Olga Maria Marcioni “La China” (Espanha), Iara Castro (SP), Cíntia Ruela (PR), Luciano Orrigo (RS) e Silvia Canarim.

A trilha sonora foi composta pelo guitarrista flamenco Fernando de Marília, que foi acompanhado pelo percussionista Fernando do Ó. Mosaico teve as participações especiais de Richard Emunds (piano e voz) e de Zé Blanco (sax soprano e flauta transversa). No Elenco, além dos bailarinos do Grupo Sílvia Canarim, os convidados Luciano Orrigo, Denise Gouvêa e Patrícia Schmarczek.